Make It Clear Brasil

Um apoio ao livre pensamento e a um entendimento do mundo baseado em evidências

Igrejas e a política partidária nos EUA

Artigo publicado hoje pela Folha de S. Paulo, cujo autor é Raul Juste Lores, escancara uma realidade que não é mais novidade para os ativistas da igualdade de direitos nos Estados Unidos. Segundo o texto, organizações não governamentais teriam denunciado cerca de 100 igrejas evangélicas e católicas do país no ano passado por fazerem propaganda política durante cerimônias religiosas.

A causa dos ativistas está baseada na reforma do código tributário americano de 1954, que proibiu entidades isentas de impostos (como as igrejas) de fazer campanha para  partidos ou candidatos a cargos públicos. Para as ONGs, “as igrejas denunciadas não respeitam a lei, e o IRS – a Receita Federal americana – não as pune como devido. Em contrates, os religiosos afirmam ter sua liberdade de expressão cerceada.

Como afirma o artigo, desde a década de 50, praticamente só uma igreja por década perdeu o status de isenta do pagamento de impostos, enquanto a maioria foi apenas advertida. O interesse em manifestar-se politicamente leva algumas entidades a abdicar deste status e pagar impostos normalmente, inclusive.

Organizações como a American United for Separation of Chuch and State [Americanos unidos pela separação de igreja e Estado] tentam conscientizar as entidades religiosas quanto à proibição de expressar visões políticas, ao mesmo tempo que outras, como a Freedom from Religion Foundation pede o fim do “tratamento preferencial” às igrejas, exigindo explicações quanto às receitas e despesas – incluindo doações – das igrejas, do mesmo modo que as ONGs são obrigadas a prestar: “Não pagar impostos é um privilégio. Por que as igrejas não precisam prestar contas?”, diz Anne Laurie Gaylor, porta-voz da fundação.

Nesta mesma direção, Rob Roston, diretor da Americans United expõe que “além de acabar com a isenção fiscal de igrejas que façam proselitismo político, queremos mais leis que obriguem entidades com esse privilégio a revelar seus investimentos e suas doações”. Na Califórnia, por exemplo, este tipo de lei revelou que a Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias (mórmon) doou em torno de U$22 milhões para a campanha contra o casamento gay no estado em 2008, cerca de 70% do total das doações. Cabe lembrar que os fiéis eram estimulados a  doar durante os cultos.

Desde 1894, igrejas são isentas do pagamento de impostos sobre propriedade e arrecadação, além do que as doações podem ser abatidas do imposto de renda. Porém, o gerente do IRS em Washington, Peter Lorenzetti, já afirmou que “fazer campanhas para candidatos ou doações contra outros” é suficiente para revogar o status de isento.

Advertisements

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: