Make It Clear Brasil

Um apoio ao livre pensamento e a um entendimento do mundo baseado em evidências

Traduzindo: “Why Do We Laugh?”

Risada

“Por que rimos?

Nossa tendência a rir diz algo sobre nós – algo que nos diferencia das espécies que não o fazem com as quais dividimos nosso planeta?

Para a Scienceline,  William Herkewitz explora o histórico evolucionário do riso, um histórico que nos mostra que talvez não sejamos tão únicos como gostamos de pensar. Não rimos só por causa de coisas engraçadas. As raízes deste comportamento, pensam os cientistas, vão muito além e possuem um propósito muito importante.

Herkewitz considera que existem diversas teorias, mas o ‘melhor palpite’ é o de que os humanos riem para dizer a outros humanos que não façam alvoroço sobre alguma coisa que, de outro modo, poderia ser considerada assustadora ou perigosa.

‘Se você é um ancestral humano e se depara com o que pensa ser uma serpente perigosa, mas que, na realidade, é um graveto, fica aliviado e ri. Rindo, você está se comunicando: Está tudo bem’, diz Vilayanur Ramachandran, neurocientista da University of California in San Diego.

Ramachandran acredita que o ‘alarme falso’ que sinaliza o propósito do riso  explica seu som alto e de característica explosiva. Se você quiser sinalizar algo a um grupo social maior, é melhor que ouçam. Esta teoria também ajuda a explicar o contágio do riso – característica curiosa explorada pelas trilhas de risadas nas sitcoms da TV. Estranhamente, ouvir o som da risada, por si só, é o bastante para provocar o riso nos outros.  ‘Um sinal vale muito mais se ele se amplificar e espalhar como um incêndio no grupo’, diz Ramachandran.

As pessoas também riem para demonstrar prazer, para se juntar a outros membros do grupo. Neste aspecto, a risada humana não é especial.

Nossa risada, o som destacado do ‘ha-ha-ha’, é único no reino animal. Se você visitar o zoológico, terá dificuldade em encontrar animais que produzem um som que poderia ser confundido com a risada humana. Mas, na galeria da vida, os humanos riem sozinhos? Pergunte a Jaak Panksepp, neurocientista e veterinário da University of Washington, e ele lhe dirá que não. Panksepp estuda o riso onde você menos esperaria, em ratos de laboratório.

‘Na metade dos anos 1990, descobrimos que [ratos] têm um som – um gorjeio de tom alto – que produziam frequentemente enquanto brincavam’. diz Panksepp. ‘Veio à minha mente que isto poderia ser uma forma ancestral de risada’. E Panksepp, dedicado a investigar, mergulhou a fundo na sua teoria. Ele fez cócegas nos ratos.

O que ele descobriu levou a duas décadas de pesquisas. ‘Eles são como crianças pequenas quando você faz cócegas nelas’, diz Panksepp. ‘Eles adoram’.

Os cães também riem do seu próprio jeito, bem como os primatas. Este trabalho é um lembrete de que por tudo o que nós, humanos, somos, e por tudo que fazemos, há muito pouco que nos torna especiais.”

Por Colin Schultz, no Smithsonian.com.

 

Advertisements

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: