Make It Clear Brasil

Um apoio ao livre pensamento e a um entendimento do mundo baseado em evidências

Cientistas desligam o desejo sexual de insetos

Cruzamento

Entomólogos da Kansas State University identificaram um neuropeptídio chamado natalisina que regula a atividade sexual e reprodutiva de insetos. O nome da substância em inglês é natalisin, e o traduzi por conta própria, já que não encontrei o termo em português. 

O neuropeptídio é formado por cadeias curtas de aminoácidos nos cérebros de insetos e artrópodes. Por tal característica, ele pode ser a chave para pesticidas mais eficientes e ambientalmente corretos, segundo Yoonseong Park, professor de entomologia da KSU. O estudo realizado por Park e seus pares foi publicado no Proceedings of the National Academy of Sciences e foi conduzido por pesquisadores na Coreia do Sul, Eslováquia e Estados Unidos.

A natalisina faz parte do sistema peptidérgico dos insetos e artrópodes, que podemos definir como uma rede genética que usa pequenos peptídios como neurotransmissores para retransmitir mensagens, informações, através do corpo. Apesar de ser única aos animais acima citados, a natalisina parece ter relação com outro neuropeptídio, a tachiquinina, esta presente em mamíferos e invertebrados, mas com funções biológicas diversas. Ao que tudo indica, a natalisina está ligada apenas à função reprodutiva dos insetos e artrópodes.

Os pesquisadores descobriram que a natalisina se expressava em três ou quatro pares de neurônios nos cérebros de moscas-das-frutas, besouros-castanhos e bichos-da-seda. Estes insetos foram escolhidos para o estudo por terem quatro ciclos de desenvolvimento — ovo, larva, pupa e adulto —, permitindo aos cientistas identificar, no ciclo de vida todo, precisamente o que a natalisina controla.

Utilizando um mecanismo chamado RNA interferente (RNAi), os pesquisadores desligaram a natalisina para descobrir o efeito de sua ausência nos cérebros dos insetos. Descobriram que a falta da substância leva à incapacidade física de se reproduzirem, bem como à redução do interesse sexual.

“Por exemplo, vimos que eliminar a natalisina na mosca-da-fruta a torna incapaz de cruzar”, disse Park, que completou: “A fêmea está muito ocupada cuidando do corpo para que o macho se aproxime. O macho não envia um sinal forte o bastante para atrair a atenção da fêmea. Não estamos certos se isto ocorre por que o macho, na verdade, não consegue farejá-la ou por que ele não está suficientemente desenvolvido para sinalizar para ela”.

Park espera que a descoberta possibilite aos cientistas o desenvolvimento de métodos direcionados de controle de pragas que sejam ambientalmente seguros. Um inseticida que afete a natalisina não afetaria plantas, animais ou seres humanos, pois, como vimos, o neuropeptídio em questão só está presente em insetos e artrópodes.

O pesquisador acrescenta que o achado também é interessante para a comunidade científica no que concerne ao maior conhecimento da biologia da mosca-das-frutas, inseto costumeiramente empregado em experimentos.

Fonte: Phys.org

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Information

This entry was posted on 27 de Agosto de 2013 by in Biologia and tagged , , , , , , , .

Navegação

%d bloggers like this: