Make It Clear Brasil

Um apoio ao livre pensamento e a um entendimento do mundo baseado em evidências

Golfinhos e morcegos chegaram à ecolocalização da mesma maneira

Golfinhos e morcegos deram os mesmos passos no desenvolvimento da ecolocalização, aponta estudo. Fotos: Esq.: NASA; Dir.: U.S. Government

Golfinhos e morcegos deram os mesmos passos no desenvolvimento da ecolocalização, aponta estudo. Fotos: Esq.: NASA; Dir.: U.S. Government

Sabemos que golfinhos e morcegos utilizam a ecolocalização para caça e locomoção. Estes animais emitem ondas sonoras de alta frequência e escutam os ecos, construindo uma imagem do mundo a sua volta. O que cientistas descobriram recentemente é a forma como esta capacidade incrível evoluiu nos dois grupos animais independentemente, a partir das mesmas mutações genéticas.

Estudo liderado por Stephen Rossiter, biólogo evolucionário da Queen Mary University of London, sugere que a evolução pode desenvolver os mesmos traços através dos mesmos passos em animais muito diferentes. Este tipo de evolução, denominada evolução convergente (ou convergência evolutiva) é comum na natureza.

Por exemplo, organismos tão remotamente relacionados como aves, morcegos e insetos possuem asas. Os cientistas pensavam que características como essa surgiam, no nível genético, de maneiras fundamentalmente diferentes, informa a Science. Assim, quanto à ecolocalização, pensava-se que genes diferentes agiam sobre cada exemplo da característica no reino animal, e que as proteínas relevantes para ela poderiam se modificar de inúmeras formas para trabalhar em novas funções.

Já em 2010, Rossiter e sua equipe haviam concluído que os dois tipos de morcegos que usam a ecolocalização, como também os golfinhos, tinham as mesmas mutações em uma proteína chamada prestina, que afeta a sensibilidade da audição. Observando outros genes envolvidos na audição, os estudiosos notaram a presença de diversos cujas proteínas foram modificadas similarmente nestes mamíferos.

Agora, Rossiter e seus pares expandiram a busca por tal convergência para a totalidade do genoma. Sequenciaram os genomas de quatro espécies de vários ramos da árvore genealógica dos morcegos, duas que são ecolocalizadoras e duas que não são. Adicionaram a estas a raposa-voadora e o morcego-pequeno-marrom, cujos genomas tinham sido previamente sequenciados, sendo o último deles também ecolocalizador. O biólogo Joe Parker comparou as sequências genéticas dos morcegos com as de mais de uma dúzia de outros mamíferos, incluindo o golfinho-nariz-de-garrafa. Sua análise focou 2300 genes que existem em cópias únicas em todos os morcegos, no golfinho, e em pelo menos mais cinco outros animais, verificando a similaridade de cada gene com o seu correspondente em morcegos e golfinhos.

O resultado da análise foi o de que 200 genes haviam se modificado independentemente da mesma maneira, de acordo com dissertação publicada na Nature. Muitos desses genes estão envolvidos com a audição, mas os outros ainda não possuem conexão conhecida com a ecolocalização; alguns ainda se relacionam com a visão e os restantes possuem funções desconhecidas até agora.

Apesar das semelhanças genéticas na ecolocalização, golfinhos e morcegos não utilizam exatamente o mesmo mecanismo. Enquanto aqueles produzem estalos em um órgão especial na cabeça que conhecemos como “lábios fônicos”, estes usam as cordas vocais para produzir sons.

Frédéric Delsuc, filogeneticista molecular da Universidade de Montpellier, França, afirma que a “maior surpresa é, provavelmente, a extensão à qual a evolução molecular convergente parece estar difundida no genoma”. O geneticista da Universidade do Texas Todd Castoe acha que as descobertas da pesquisa mais recente são muito importantes, embora discorde parcialmente da metodologia empregada nela. Segundo ele, a abordagem dos autores encontrou apenas evidências indiretas da convergência molecular.

Castoe pondera que biólogos que constroem árvores genealógicas podem se enganar por pensarem que alguns organismos são aparentados porque os genes e proteínas que os geram são semelhantes graças à convergência, esquecendo-se de que entre eles pode haver um ancestral comum recente.

Fontes: Science, International Business Times

Anúncios

One comment on “Golfinhos e morcegos chegaram à ecolocalização da mesma maneira

  1. Pingback: Freud, Golfinhos e mais: Os 10 artigos do Make It Clear mais lidos em 2013 | Make It Clear Brasil

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Information

This entry was posted on 5 de Setembro de 2013 by in Biologia and tagged , , , , , , , , , .

Navegação

%d bloggers like this: