Make It Clear Brasil

Um apoio ao livre pensamento e a um entendimento do mundo baseado em evidências

2 em 1: Mulher no volante… problemas nos ovários?; Justiça autoriza tratamento com transfusões de sangue para testemunha de Jeová

A seção “2 em 1” de hoje convida a todos a fazer uma viagem pela Arábia Saudita, onde um influente religioso emitiu o “alerta” de que dirigir automóveis causa problemas nos ovários e afeta os futuros filhos das mulheres. Depois, passaremos rapidamente pela Austrália, onde veremos o caso de um jovem religioso que se recusou a receber transfusões sanguíneas que podem salvar a sua vida, sendo que esta última visão foi, por enquanto, endossada pela justiça.

Clérigo saudita afirma que dirigir “afeta os ovários”

Um clérigo da Arábia Saudita, monarquia absolutista do Oriente Médio, provocou indignação online ao alertar que as mulheres que dirigem automóveis podem ter seus ovários afetados, o que levaria a “distúrbios clínicos” nos filhos. O portal Middle East Online informa que o aviso do religioso antecede uma iniciativa a ser tomada no dia 26 de outubro para derrubar a proibição ao direito das mulheres de dirigir.

Mulheres sauditas tentam obter o direito de dirigir no reino ultraconservador.

Mulheres sauditas tentam obter o direito de dirigir no reino ultraconservador.

“[A] ciência fisiológica” descobriu que dirigir “automaticamente afeta os ovários e pressiona a pelve”, disse o xeque Saleh al-Luhaidan ao portal de notícias local Sabq.org. Ele continua, dizendo que os filhos de mulheres que constantemente assumem a direção “sofrem de distúrbios clínicos de diversos graus”.

Os usuários do Twitter, plataforma na qual os sauditas têm veiculado críticas ao governo, demonstraram insatisfação: “Que mentalidade temos. Gente foi ao espaço e ainda impedem as mulheres de dirigir”, disse um comentário. Outro, de uma mulher, disse que “[q]uando a estupidez se casa com o dogma na capela das tradições medievais, este é seu filho pródigo”.

Luhaidan é membro da Comissão de Eruditos Islâmicos e ex-chefe do Conselho Judicial Supremo da Arábia Saudita, o único país do mundo a banir as mulheres do volante.

O clérigo também afirmou haver “evidências do Corão e da Suna” (ensinamentos do profeta Maomé) que proíbem completamente as mulheres de dirigir baseadas em “contextos morais e sociais”.

Adolescente testemunha de Jeová perde ação na justiça para recusar transfusão de sangue

O paciente de câncer conhecido apenas por X, de 17 anos, perdeu na justiça uma ação através da qual esperava obter o direito de recusar-se a receber transfusões sanguíneas. O jovem de Sidney, Austrália, apelou contra uma ordem da Suprema Corte de New South Wales que dava ao Hospital Infantil de Sidney permissão total para realizar o tratamento.

X é testemunha de Jeová e afirmou que retiraria o instrumento intravenoso de transfusão de sangue de seu braço caso fosse forçado a passar pelo procedimento, que considera semelhante a um estupro.

Os médicos avaliam haver uma probabilidade de 80% de morte por anemia para o tipo de câncer do qual X sofre, o linfoma (ou doença) de Hodgkin, caso o paciente não receba as transfusões.

Em março, o juiz Ian Gzell ordenou ao hospital que fizesse o tratamento no garoto, que apelou da decisão. Segundo o ABC News, percebendo que o jovem era “altamente inteligente, um ‘menor maduro’ e devotado à sua fé”, o juiz concluiu que o garoto havia sido “encasulado nessa fé” por toda a sua vida.

Na época, o juiz Gzell afirmou: “A santidade da vida, por fim, é uma razão mais poderosa para que eu dê as ordens do que o é o respeito pela dignidade do indivíduo”. A corte que decidiu pelo indeferimento do pedido de X por unanimidade julgou não haver motivo para um resultado diferente porque o garoto está, agora, cinco meses mais perto de completar seu 18º aniversário:

“O interesse do estado [de New South Wales] é mantê-lo vivo até esse momento, a partir do qual ele será livre para tomar suas próprias decisões quanto ao tratamento médico”.

O garoto completa 18 anos em janeiro de 2014, quando estará apto a exercer seu direito de recusar o tratamento.

Fontes: Middle East Online, ABC News

Advertisements

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Information

This entry was posted on 30 de Setembro de 2013 by in Fundamentalismo, Religião and tagged , , , , , .

Navegação

%d bloggers like this: