Make It Clear Brasil

Um apoio ao livre pensamento e a um entendimento do mundo baseado em evidências

Método de regeneração capilar é o primeiro a induzir o crescimento de novos fios de cabelo humano

Pela primeira vez, cientistas utilizaram células das papilas dérmicas humanas — aquelas na base dos folículos capilares, como o da foto — no desenvolvimento de novos cabelos. Foto: Laboratório de Claire Higgins/Christiano no Centro Médico da Universidade de Colúmbia

Pela primeira vez, cientistas utilizaram células das papilas dérmicas humanas — aquelas na base dos folículos capilares, como o da foto — no desenvolvimento de novos cabelos. Foto: Laboratório de Claire Higgins/Christiano no Centro Médico da Universidade de Colúmbia

Pesquisadores do Centro Médico da Universidade de Colúmbia (CUMC) desenvolveram um método de restauração capilar que pode gerar o crescimento de novos fios de cabelo humano, ao invés de simplesmente redistribuir o cabelo de uma parte da cabeça para outra. A descoberta pode aprimorar o uso dos transplantes capilares em mulheres que sofrem com perda de cabelo — que tendem a receber poucas doações — e homens no estágio inicial da calvície, por exemplo. O estudo foi publicado hoje no periódico Proceedings of the National Academy of Sciences (PNAS).

“Cerca de 90 por cento das mulheres com perda de cabelo não são fortes candidatas à cirurgia de transplante capilar por conta de doações de cabelo insuficientes”, disse a co-líder do estudo Angela Christiano, PhD e professora de dermatologia e de genética e desenvolvimento. “Este método oferece a possibilidade de induzir grandes números de folículos capilares ou rejuvenescer folículos existentes, começando com células reproduzidas a partir de apenas algumas centenas de cabelos de doadores. Isto pode tornar o transplante capilar acessível a indivíduos com um número limitado de folículos, inclusive aqueles com o padrão feminino de perda de cabelo, alopecia cicatricial [doença que provoca a destruição dos folículos e a substituição deles por tecido cicatricial], e perda de cabelo devido a queimaduras”.

De acordo com a Dra. Christiano, os pacientes mencionados acima não obtêm muitos benefícios dos medicamentos contra a perda de cabelo comercializados atualmente, que podem reduzir a velocidade da queda mas geralmente não estimulam o crescimento de novos fios.

O Dr. Colin Jahoda, da Universidade de Durham, na Inglaterra, outro co-líder da pesquisa, afirma que a noção da clonagem de folículos capilares utilizando células da papila dérmica (área de contato entre derme e epiderme localizada na base dos folículos) existe há décadas, no entanto, quando as últimas são postas em culturas bidimensionais convencionais de tecidos em laboratório, elas se convertem em células comuns da pele, perdendo a capacidade de produção de folículos. Portanto, os pesquisadores se perguntaram como seria possível cultivar uma quantidade suficientemente grande de células para a regeneração capilar mantendo-se as propriedades necessárias à indução.

Para encontrar a solução deste dilema, os cientistas observaram o pelo dos roedores. Nesses animais, as papilas podem ser facilmente coletadas, expandidas e transplantadas através de um método dominado pelo Dr. Jahoda há muitos anos. A facilidade, sugerem os pesquisadores, se deve ao fato de que as papilas dérmicas dos roedores (ao contrário das humanas) tendem a se aglomerar nas culturas de tecido. Então, este tipo de agregação deve criar um ambiente extracelular que permite a interação entre as papilas e o envio de sinais que acabam por reprogramar a pele do receptor do transplante no sentido da criação de novos folículos:

“Isto sugeriu que, se cultivássemos papilas humanas de tal forma que as encorajássemos a se agregarem do modo como fazem espontaneamente as células dos roedores, poderíamos criar as condições necessárias para induzir o crescimento do cabelo na pele humana”, disse Claire Higgins, cientista associada à pesquisa.

Para testar a hipótese, os pesquisadores coletaram papilas dérmicas de sete doadores humanos e clonaram as células em uma cultura, agrupando-as tridimensionalmente em esferas. Passados alguns dias, as papilas clonadas foram transplantadas entre a derme e a epiderme da pele humana que havia sido enxertada nas costas de ratos. Em cinco dos sete testes, os transplantes resultaram em crescimento de cabelo, que durou até seis semanas. Análises de DNA confirmaram que os novos folículos capilares eram humanos e geneticamente compatíveis com os doadores.

Esferas de células de papilas dérmicas reproduzidas a partir de folículos capilares humanos produziram novos fios de cabelo geneticamente compatíveis com os doadores na maioria dos experimentos. Foto: Laboratório de Claire Higgins/Christiano no Centro Médico da Universidade de Colúmbia

A Dra. Christiano acredita no caráter revolucionário que a abordagem da sua pesquisa virá a ter sobre os tratamentos contra a perda de cabelo: “Os medicamentos para a perda de cabelo atuais tendem a desacelerar a perda de folículos capilares ou, potencialmente, a estimular o crescimento de fios existentes, mas não criam novos folículos. Tampouco o fazem os transplantes capilares, que relocam um dado número de fios da parte de trás do couro cabeludo para a frente. Nosso método, ao contrário, tem o potencial de criar novos folículos usando as próprias células do paciente”.

O processo precisa ser aprimorado para que se façam testes em humanos, reconhecem os cientistas. É necessário conhecer, por exemplo, as características intrínsecas dos cabelos induzidos, como cor, ângulo, textura, etc. Faz-se crítico, ainda, o entendimento do papel que as células do receptor assumem quando interagem com as papilas implantadas durante a composição das novas estruturas foliculares. Apesar disso, a equipe está otimista de que os experimentos clínicos possam começar logo. “Também achamos que este estudo é um passo importante em direção ao objetivo de criar uma pele de reposição que contenha folículos capilares para o uso, por exemplo, em pacientes de queimaduras”, diz Jahoda.

Análises da expressão genética indicaram que as culturas tridimensionais restauraram 22% da expressão dos genes vista em folículos capilares normais, porcentagem menor do que esperavam os estudiosos, mas suficiente para a indução do crescimento de cabelo, segundo Christiano.

Fonte: MedicalXpress

Advertisements

4 comments on “Método de regeneração capilar é o primeiro a induzir o crescimento de novos fios de cabelo humano

  1. Pingback: Freud, Golfinhos e mais: Os 10 artigos do Make It Clear mais lidos em 2013 | Make It Clear Brasil

  2. Carlos
    30 de Dezembro de 2013

    2014 pra frente a calvie será passado

  3. Carlos
    30 de Dezembro de 2013

    calvicie**

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Information

This entry was posted on 21 de Outubro de 2013 by in Medicina and tagged , , , , , .

Navegação

%d bloggers like this: