Make It Clear Brasil

Um apoio ao livre pensamento e a um entendimento do mundo baseado em evidências

10 animais que não precisam de fantasia para o Halloween

Nesta época do ano, fala-se muito no Halloween, ou Dia das Bruxas. A celebração, difundida em muitos países, tradicionalmente se baseia no culto aos mortos, embora seja mais comum pensarmos nela em tom de festividade. Nesse sentido, são feitas decorações, brincadeiras e são realizadas festas à fantasia.

Porém, alguns animais vestem suas fantasias o ano todo, se escondendo em meio à vegetação e, até mesmo, em meio a outras criaturas para que consigam evitar os predadores. Em outros casos, costumam unir “travessura” e “gostosura” e pregam peças nas suas próprias presas.

Você vai a alguma festa à fantasia? Inspire-se nesta lista, elaborada pela Scientific American, de 10 animais que não precisam se preocupar com a fantasia.

O gafanhoto acima (Coryphistes ruricola) mede 5cm e se mistura perfeitamente à vegetação morta e às cascas de árvores da Austrália, de onde é nativo. Conseguiu enxergar? Procure por um par de antenas no meio da foto. (Bill e Mark Bell/Flickr)

Polvo-imitador. A maioria dos polvos pode mudar de forma e textura para se misturar aos seus habitats, mas o polvo-imitador (Thaumoctopus mimicus) vai um pouco mais longe: ele imita outros animais, como águas-vivas, serpentes marinhas e peixes. (Stubblefield Photography/Shutterstock)

Louva-a-deus orquídea (Hymenopus coronatus). Este inseto-flor é um predador. A espécie de louva-a-deus que vemos na foto “copia” as flores, criando uma armadilha para polinizadores como as borboletas. Ao invés de se esconder entre as flores, este animal fica à postos sobre a vegetação verde, chamando a atenção de outros insetos com sua coloração vibrante. (Laurence Norah/Flickr)

Sapo-de-chifre-asiático (Megophrys nasuta). Estes sapos se escondem nas folhas caídas no chão da floresta tropical, fazendo com que a tarefa de avistá-lo seja difícil para os predadores. Claro, assim também fica mais fácil para o sopo abocanhar as presas, i.e., aranhas e lagartos, que passam sem notar sua presença. (Paul Williams/Flickr)

Sapo-de-chifre-asiático (Megophrys nasuta). Estes sapos se escondem nas folhas caídas no chão da floresta tropical, fazendo com que a tarefa de avistá-lo seja difícil para os predadores. Claro, assim também fica mais fácil para o sapo abocanhar as presas, i.e., aranhas e lagartos, que passam sem notar sua presença. (Paul Williams/Flickr)

Camaleão. A família dos Chamaeleonidae é, provavelmente, a mais famosa da lista. No entanto, apenas algumas espécies de camaleão podem, de fato, mudar de cor. A maioria das trocas de fantasia destes animais não é em prol da camuflagem — os camaleões trocam sua pele em resposta a condições de temperatura e ambiente e para sinalizar seu comportamento em termos de agressividade e acasalamento, por exemplo, aos seus colegas. (lezumbalaberenjena/Flickr)

Inseto-de-folha-gigante (Phyllium giganteum). Espécie de inseto que usa sua coloração para enganar os predadores. De acordo com especialistas, ele dificilmente se move depois de encontrar um bom esconderijo. (Paul Allais/Flickr)

A espécie de grilo-do-arbusto acima é originária do Sudeste Asiático. Apesar de os animais adultos desta espécie parecerem com os grilos que são, os mais jovens se parecem muito com formigas, possivelmente para confundir predadores. (Muhammad Mahdi Karim)

Choco, ou sépia. Assim como os polvos, as sépias são extremamente espertas e adaptáveis. Elas podem mudar de cor e textura rapidamente, às vezes em menos de um segundo. Mesmo sendo daltônicas, estas criaturas são mestres da imitação, capazes de se disfarçar na areia, nas algas marinhas e na própria escuridão do oceano com facilidade. (Nick Hobgood)

Lagartixa-rabo-de-folha (Uroplatus sikorae). Encontrado em Madagascar. este réptil troca de pele para combinar com o ambiente ao seu redor. Ele também tem a capacidade de estender pequenas dobras da pele para eliminar a aparência de sua silhueta enquanto descansa. (David d’O/Flickr)

Caranguejo-decorador. Este animal não nasce com sua fantasia: ele a confecciona. O caranguejo cobre seu corpo com algas, esponjas-do-mar, e outros minúsculos animais marinhos para melhor se misturar ao ambiente marinho. (Klaus Stiefel/Flickr)

Fonte: Scientific American

Advertisements

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Information

This entry was posted on 31 de Outubro de 2013 by in Biologia and tagged , , , , .

Navegação

%d bloggers like this: